Thaíse Bandeira e o sonho dos 21K: quem sabe faz a hora

Thaíse Bandeira e o sonho dos 21K: quem sabe faz a hora

27 de novembro de 2019 0 Por Paulo Prudente

A servidora pública Thaise Bandeira, de 35 anos, começou a correr em janeiro. Depois de uma experiência ruim em 2018, ela procurou a escola de corrida Go Runners em Natal-RN, cidade em que mora. Com treinamento especializado tem evoluído rapidamente e já se prepara para realizar um sonho em 2020. Confira!

 

Quando a corrida entrou em sua vida?

Eu sempre fui sedentária. Não conseguia manter, por muito tempo, nenhuma atividade física. Achava muito chato e me desestimulava com facilidade. Em 2018, no entanto, após ouvir vários relatos de amigos que corriam, comecei a “paquerar com a ideia” da corrida de rua.

No segundo semestre, me inscrevi para as 3 milhas (4,8kms) da Corrida da PRF, contratei um professor da academia em que malhava e comecei a treinar para a prova. Porém, o professor, que não tinha experiência em corrida, passou treinos muito além da minha capacidade física, o que me causou dores fortes na panturrilha e um sentimento de incapacidade enorme. Nesse quadro, no dia da prova da PRF, cheguei bem cabisbaixa e com dificuldade em correr. Resultando em andar mais que correr e sair da prova achando que aquilo não era pra mim.

Em janeiro de 2019, através de uma amiga, tive conhecimento da escola de corrida Go Runners. Ela me contou que é uma ótima assessoria para iniciantes na corrida de rua, me relatou o método e o respeito a cada um dos praticantes.

Fiquei encantada e bastante empolgada, porque era aquilo que estava procurando. Então, no mesmo dia liguei para o treinador Fabiano Pezzi e no dia 15 de janeiro de 2019 iniciei minha trajetória de corredora.

 

E como tem sido sua evolução?

Está sendo incrível. Em 10 meses, saí do total sedentarismo para, em 9 de novembro de 2019, na bendita Corrida da PRF, fazer o percurso de 10 milhas (um pouco mais de 16K), correndo todo o tempo, curtindo o percurso, com a cabeça tranquila e sem sentir dor.

 

Acha que a assessoria é essencial para manter sua motivação lá em cima?

A Go Runners é um porto seguro. Sem a ajuda e conselhos dos professores, em especial do Rodrigo, tenho plena convicção de que não conseguiria evoluir na corrida. A assessoria, além de ensinar técnicas e de passar treinos adequados às minhas necessidades, me tranquiliza nos momentos de queda de rendimento, me ajuda a controlar a minha empolgação e impulso e me manter motivada a conquistar meus objetivos.

 

Você mira alguma prova em especial ou tem algum sonho nas corridas?

Sonho correr 21K no primeiro semestre de 2020. Como não vou conseguir encaixar minhas necessidades pessoais com as provas que ocorrerão no início do ano, a Go Runners, por meio de Rodrigo, meu maravilhoso professor, marcou o  “desafio da Tatá”, no qual, em 15 de fevereiro de 2020 às 4h30min, durante um treinão no Alphaville, tentarei completar essa façanha.

 

Tem dificuldades para conciliar treinos, família e trabalho?

Não. Tenho uma rotina semanal que varia a cada semana. Sou casada com Vagner, um servidor público estadual do Ceará, e tenho um filhinho de quatro anos, João Gabriel. Meu marido trabalha em sistema de escala, passando uma semana de folga em casa e outra trabalhando. Assim, quando meu marido está em Natal há uma divisão de atividades domésticas e necessidades do nosso filho (escola, esporte, brincadeiras, etc). Portanto, vou treinar com maior flexibilidade de tempo e consigo, por muitas vezes, correr nos horários da Go Runners, fazendo aquecimento, treino técnico e alongamento com os professores e demais corredores. Já nas semanas em que estou sozinha com João Gabriel, raramente consigo treinar com a assessoria, mas não deixo de correr. Cubro a planilha em outros horários e em locais mais convenientes a minhas limitações, passando sempre o feedback ao meu professor, que me acompanha e me incentiva. Desse jeito, consigo evoluir na corrida, mantenho meus treinos em dia e supro as necessidades familiares e do trabalho.

 

Como a corrida interfere em sua vida? Ânimo, disposição, força…

Sou vítima da “revolução da corrida”. Ela mudou meu corpo e minha cabeça. A corrida me ajudou a perder todo o peso que ganhei pós gestação, junto com a reeducação alimentar e o treinamento de fortalecimento. Vale lembrar que foi a corrida que me fez ver a importância da academia e da mudança de hábitos alimentares para minha vida. Com esse “combo” tive uma melhora visível no meu condicionamento físico, na disposição e no ânimo. Já quanto a cabeça, me empoderou, me fez acreditar que sou capaz de muito além do que acreditava, aumentou meu orgulho próprio, me fez mais forte. Enfim, quando corro exercito meu corpo e minha mente.